quinta-feira, outubro 8

"Por Dentro da História"

Tudo bem contigo?

Você sabe que eu sou geminiana e por isso, a mente não pára quieta, né? 🤪

E como você sabe que eu adoro ler. Resolvi trazer uma forma bem diferente de te apresentar os livros. Convido você a conhecer o "Por Dentro das Histórias"

Clica aqui ó:









Até a próxima!

Elaine Cunha

segunda-feira, outubro 5

Muito prazer!

 



Sou a Elaine Cunha, muito prazer!

Nasci em Recife-PE. Passei minha infância, adolescência e começo da vida adulta. Formei-me em Fonoaudiologia e fiz a minha Especialização em Linguagem também. Casei. E me mudei para São Paulo em 2004. Por lá, a vida adulta me mandou para caminhos bem diferentes. 

Em 2010, após um longo período no casulo por problemas de saúde, decidi que era momento de eu começar algo para mim. Era um chamado. E eu ouvi meu coração. Comecei a buscar um trabalho voluntário que fosse compatível com minha saúde frágil naquele momento. E achei que Contar Histórias para as crianças hospitalizadas seria o começo. 

Ingressei no Viva e Deixe Viver. Nasceu o Caminhando e Contando. Lembro com muita alegria de tudo que vivi. Foram 9 meses de treinamento teórico e 3 meses de treinamento prático.  Afinal, lidaria com crianças em situação frágil e precisaríamos como abordar. Até porque, as crianças não estavam de férias no hospital, né?

 Foi navegando por estes mares que percebi a grandeza das histórias. Como fonte de brincadeira, desenvolvimento, internalização de conceitos... Enfim, o famoso "poder das histórias". Sim, elas curam! Elas estavam me curando também!

Quando eu li a frase "Contar histórias é dar um presente de amor" do Lewis Carol, eu gravei eu meu coração. Assumi minha arte e decidi me dedicar e ser profissional. De lá para cá, muita coisa mudou. E o que não mudou foi meu amor pelas histórias. Só aumentou!

E esta sou eu. Intensa. Em tudo o que faço. Sigo com toda certeza de que quando conto histórias entrego meu melhor presente.

E agora eu te faço uma pergunta: Tá pronto para mais uma história?

Elaine Cunha
Contadora de Histórias


quinta-feira, agosto 27

"Escreva sua histórias pelas próprias mãos"

 



Hoje à tarde, saímos em família para ver o movimento do mundo. Marido ligou o rádio e começou a tocar uma música do Zé Geraldo que falava assim:

"Hei você que tem de 8 a 80 anos
Não fique aí perdido como ave
Sem destino
Pouco importa a ousadia dos seus planos
Eles podem vir da vivência de um ancião
Ou da inocência de um menino
O importante é você crer
Na juventude que existe dentro de você
Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos (...)

O importante é você crer
Nessa força incrível que existe dentro de você
Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos"

Fiquei ouvindo e pensando: Não é que ele tem razão?

Nada é tão nosso quanto nossa história! A sua história está sendo escrita da forma que você encara e leva a sua vida!

Você pode até está num momento em que não está vivendo a sua vida. Mas é fase. E Mãe é um bicho danado para fazer isto, viu? Porque é fato, ser mãe é uma coisa tão intensa que deixamos nossos sonhos, desejos, vontades de "standy by" para cuidar daquele ser que recebemos dos céus. Mas chega uma hora que você olha para trás e diz: "Eita, o que eu fiz até agora?

Para tudo. Preciso voltar a ter as rédeas de nossas vidas. E ainda bem que esta ficha cai e finalmente  dizer: existe vida após a maternidade! É hora de escrever a nossa história!

Confesso que estou neste movimento, viu? Olhando para mim, buscando o que gosto de fazer, de ler.. E investindo tempo e energia nisto. Sabe por quê? Porque estou escrevendo a minha história com minhas mãos. Não se assusta com o que vou te dizer. Não é egoísmo não. É amor-próprio! Até porque não estou abandonando nada nem ninguém. Estou apenas segurando novamente em minhas o que é meu: minha vida, meus sonhos, minha história.

E você, não está na hora de também fazer isto? O que você quer tanto fazer e vem adiando? Não estaria no hora de pegar o seu lápis e escrever?

Vamos juntas?

Elaine Cunha
Contadora de Histórias

terça-feira, agosto 25

"O Coelho e o Sapo" por Elaine Cunha

Para tudo! Agora é aquele momento alegria, êxtase, orgulho gostoso misturado com babação. Vou te explicar.



A querida Fernanda, professora do pequeno, convidou os pais para um bate papo sobre as Profissões. Lógico que aceitei, né? Olha nós aí:



Pedro ama ouvir histórias. E ele também ama compartilhar este momento tão gostoso entre nós com os amigos. E eu adoro contar histórias. Assim, convite feito. Convite aceito!

Conversar sobre o que amo fazer é prazeroso demais. Compartilhar com as crianças o amor que tenho pelos livros, as diferentes maneiras de lermos os livros, falar da importância do autor, ilustrador, editora... e lógico, da importância das histórias no nosso processo enquanto humanidade. Afinal, desde que o mundo é mundo contamos história, não é? Associar os conteúdos vistos na escola com as histórias é uma maneira muito gostosa de agregar o conhecimento!

Trazer toda a nossa ancestralidade como contadores de histórias, de que construímos ao longo de nossa vida só nos fortalece como povo. E eu ainda contei uma história da nossa tradição oral.

Escuta aí a história que contei. Uma história contada a várias vozes. Aperta o Play e se diverte!



Nem sei te dizer quem ficou mais feliz! Garanto a você que momento foi lindo! Acredito que assim plantamos sementes nas crianças. As sementes do amor pelos livros!

Tia Fer, gratidão pela parceria constante. Eu já te disse e repito: você faz diferença!



Nem sei te dizer quem ficou mais feliz! Garanto a você que momento foi lindo! Acredito que assim plantamos sementes nas crianças. As sementes do amor pelos livros!

Tia Fer, gratidão pela parceria constante. Eu já te disse e repito: você faz diferença!

Até a próxima!
Elaine Cunha

quinta-feira, agosto 13

Histórias para entreter?

 

Elaine, você conta história pare recrear/ entreter? Sim e não. Vou te explicar melhor! 

Acredito que as histórias nos fazem refletir e enxergar o mundo numa nova ótica. Assim, não gosto desta vertente de dizer que histórias são apenas para brincar, entreter ou ocupar o tempo. Eu estaria subutilizando as histórias! Porque eu acredito demais no poder de transformação delas. Adoro escolher alguma história que inspirem novos olhares. Acredito que você já tenha percebido isto em meu repertório, né?

Com a leitura das histórias, as crianças podem viajar no tempo, contribuindo assim para o seu desenvolvimento. Escutá-las é o início da aprendizagem para ser leitor. E contar histórias vai além de criar o hábito de ler, é estimular o imaginário da criança. É criar um caminho infinito de descobertas e de compreensão do mundo. Através da história elas misturam o real com o fictício. As emoções são recriadas no contador e, principalmente, em que a ouve. A história ajuda a criança sonhar e conhecer a si própria. Quanto mais contato a criança tiver com a literatura e as narrações, mais instrumentos ele terá para elaborar, organizar e expressar com clareza seus sentimentos e conhecimentos.  Por isso, eu sou fanzoca das histórias. Porque eu acredito neste poder transformador.

Vamos juntos ouvir e contar histórias. E histórias que nos inspirem!  Você, já tinha pensando nisto?


Até a próxima!

Elaine Cunha