quinta-feira, fevereiro 21

"Feijões nos Sapatos"

Sabe aquela mensagem que você recebe e toca profundamente seu ser? Foi exatamente esta. E ai, resolvi trazer ao Caminhando.



Ela fala de um monge que estava pronto para se aposentar e precisava escolher seu sucessor. Entregou aos seus discípulos uma missão: subir um monte com feijão nos sapatos. E agora? Será que alguém conseguiu esta façanha?



Clica aí. Divirta-se!









Até a próxima!

Elaine Cunha

segunda-feira, fevereiro 18

{Resenha} Eu Nunca Vou Comer um Tomate.




{Resenha} Eu Nunca Vou Comer um Tomate. Apresentando Charlie e Lola

Sinopse: Charlie e Lola são irmãos. Às vezes, Charlie tem que ajudar sua mãe a cuidar da irmãzinha caçula: levá-la à escola, colocá-la na cama para dormir ou mesmo fazê-la comer o que faz bem para sua saúde. Mas Lola não é nada fácil! Teimosa e muito falante, ela sempre tem uma frase na ponta da língua para argumentar a favor do seu próprio ponto de vista sobre a sua rotina. E agora Lola teima em não comer nada que é saudável - tomate, inclusive. Será possível convencer a Lola de que comidas nutritivas também são gostosas?

Livro: Eu nunca vou comer um tomate
Autor: Lauren Child
Editora: Ática

Caminho e Conto: Este livro meu filho teve o prazer de ler no Kumon e me mostrou dando muitas risadas. Tudo porque ele também queria experimentar os “palitinhos laranja de Júpiter”, “pingos verdes de Cabo Verde” e “flocos de nuvem do ponto mais alto do Monte Fuji". 😍 É com muita criatividade - daquelas que mães tem que ter para inovar na alimentação das crianças quando elas cismam que não querem tal alimento - que o livro trata a introdução alimentar. Quando Lola diz que não aceita de jeito algum um alimento e a autora Lauren Child.. ops, o irmão Charlie lança mão de toda sua imaginação para criar na pequena irmã a vontade de experimentar. Afinal não era cenoura, ervilha nem purê. Eram pratos com nimes especiais. Quem nunca fez isto, não é? Dar nome poderoso ao simples tomate? 
E no final, aqui todos rimos e nos divertimos. Porque Lola não come tomate não. Ela come outra coisa... Que você só saberá ao ler o livro. 
As imagens são divertidas. Mistura desenhos com quase reais dos alimentos. E a cada alimento com nome especial, a cozinha se transforma. Eu me vi no desenho do "Fantástico Mundo de Bob". A leitura será bem agradável e divertida. Principalmente para aquela fase que as crianças se tornam mais seletivas naturalmente!


Para ver mais fotos, acesse o Caminhando e Contando no Instagram. Clica aqui.

Até a próxima!
Elaine Cunha

quinta-feira, fevereiro 7

"Galinho Gripado"

Esta semana estava bem gripada. Não conseguia nem falar...
Coloquei nos stories do meu Ig lá no Instagram perguntando se a galera conhecia a história do galinho gripado. E para minha surpresa 88% da galera disse que não.

Então, eis aí: O Galinho Garnizé adorava cantar. Contudo não ouvia os conselhos da Dona Galinha, a sua mãe. E aí, teve um dia que o pior aconteceu!

Clica e confere!




Até a próxima! 
Elaine Cunha

terça-feira, janeiro 22

{RESENHA} Contos de Fadas de Perrault, Grimm, Andersen e outros

{RESENHA}

Sinopse: Uma charmosa edição de bolso para acompanhar pais e filhos pelo resto da vida. Em um só volume encadernado, as mais famosas histórias infantis, em suas versões originais, sem adaptações, de Grimm, Perrault e Andersen, entre outros. Nesses contos de fadas, bruxas, princesas, encantamentos e finais felizes! O livro inclui:Cerca de 90 pinturas e desenhos, muitos deles raros, de ilustradores célebres como Gustave Doré; Biografia dos autores A versão impressa apresenta capa dura e acabamento de luxo.
Livro: Contos de Fadas de Perrault, Grimm, Andersen e outros
Apresentação: Maria Machado
Editora Zahar




Caminho e Conto:
Sabe aquele livro que traz te traz uma nova forma de olhar alguns dos clássicos dos contos de fadas? Este é um deles! A Ana Maria Machado, com sua escrita muito peculiar, nos presenteia com uma bela coletânea de 20 contos reproduzidos a partir dos originais. As imagens são riquíssimas, repletas de detalhes dos autores. E ainda traz uma breve apresentação de cada um dos autores. Livro é pequeno, capa dura. Sabe o que isto significa? Fácil de levar e resistente. Pode ir conosco para muitos lugares. Eu amei conhecer as versões de uma forma mais ampla. Cada conto tem detalhes que muitos nem conhecem. Porque saber que a Madastra tentou duas vezes "acabar" com a vida da Branca de Neve para somente depois entregar a maçã ou como até mesmo o Principe desejar a todo custo a Branca de Neve morta no caixão é muito legal, não é? Meus olhos viraram ao avesso desde a primeira vez e li. E continuo relendo pois acho maravilhoso a possibilidade de termos o olhar menos "massificado" dos contos de fadas. Ótimo para as crianças conhecerem mais. Indico de todo coração.

Até a próxima!
Elaine Cunha

segunda-feira, janeiro 21

{Resenha} Cachorro preto! Cachorro branco!

 Cachorro preto! Cachorro branco! 



{Resenha}

Sinopse: Era uma vez um cachorro preto que não gostava do cachorro branco. E, era uma vez também, um cachorro branco que não gostava do cachorro preto. Eles não se conheciam. Apenas não se gostavam. Mas.. Por quê? Nunca houve, de nenhum dos dois cachorrinhos, qualquer tentativa de se conhecerem e serem bons amigos. Até que um dia, seus caminhos se cruzaram num incidente em comum que fez com que ambos ficassem frente a frente – focinho com focinho – pela primeira vez. Descubra junto com esses cachorrinhos adoráveis, as verdadeiras cores da amizade!
Livro: Cachorro preto! Cachorro branco!
Autora e Ilustradora; Danielle Felicetti Muquy
Editora: Catatau Livros .



  



Caminho e Conto:
Sabe aquela linda surpresa ao ler o livro? Foi assim que me senti. O cachorro preto é parecido ao cachorro branco. Gostam das mesmas coisas e não se gostam. Por que? Ideias bobas, como as pré-concebidas, entende? Eles se olham e se detestam. Até que... mudam de cor! E quando se olham, lógico que não gostam do resultado, não é? Sim, a história muda, eles resolvem "entrar" no mundo do mundo. E como mágica, percebem que não dá certo. E a história, muda de novo. Brincar com as possibilidades e fazer a criança pensar será muito bom. Afinal, eles têm um grande problema nas mãos, ops, nas patas e precisam resolver. E confesso, a resolução é linda! Apaixonada fiquei! A delicada maneira em que a autora conduziu o final da história me surpreendeu. Afinal, quando nos aceitamos e aceitamos o outro como ele é sabe quem ganha? E não é que nasce uma verdadeira amizade. Já disse que estou apaixonada, né? 


Até a próxima! 
Elaine Cunha