segunda-feira, dezembro 30

Resenha: Lá vem o ano novo!



Fiz uma enquete na sexta-feira pelos stories se teríamos uma história ou resenha do livro neste final do ano. A História narrada ganhou com alto índice de pedidos. E como alguns amigos também pediram a resenha na melhor argumentação possível - “Por que não os dois?"- resolvi começar pela resenha!
“Lá vem o Ano Novo” é aquele livro que você sorri do começo ao fim! Narra a história da espera do Ano novo! E a Ruth Rocha, como sempre, escreveu uma linda história sobre esta chegada!
E quantas vezes já ouvimos que o Ano Velhinho tá indo embora e dando lugar ao Ano Novo?
Sim! Ele está chegando. Na casa da Vovó Emília era festa! Adultos e crianças se preparando para a chegada do ano novo! E na casa do Tempo, todos já estão se arrumando para a sua chegada. Os segundos, as Horas, as Semanas, os Meses. Todos! Quer dizer quase todos! Tudo pode a Dona Meia Noite diz que cansou das promessas não cumpridas dos humanos e diz que não aparecerá na Terra! Pronto problema criado! Como o Ano Novo chegará então?
Foi exatamente com esta dúvida que pairou no ar que fiquei ansiosa para terminar de ler e saber como termina esta história!
Eu – amando a leveza da narrativa – dei muitas risadas lendo o livro da Ruth Rocha. A forma em que ela envolve o leitor é magnifica. Para os leitores mais atentos, ela nos brinda com algumas reflexões: podemos mesmo só fazer promessas de ano novo e não cumpri-las? Uma história divertida que nos traz ensinamentos também sobre coragem, fé, união!
As ilustrações do Carlos Brito são tão lindas. Cheinho de detalhes e mega colorido. Amo!
Vai por mim! É aquele livro que deveríamos ler em todos os momentos! Só para nos lembrar de que tudo está em nossas mãos. O Ano inteiro!!!!
A história está em produção! Já já estará por aqui também! 

Até a próxima!
Elaine Cunha

quinta-feira, dezembro 26

Resenha de Livro: Biscoito de gengibre


Quando a Karina do Rio Preto Kids me mostrou a caixinha do biscoito de gengibre do Chef Time, logo me lembrei desta história que eu tinha visto lá na biblioteca do Kumon Plaza Avenida.
Ao bater o olhar na capa do livro, lembrei-me do “Biscoito” do Shrek e senti que a sina dos biscoitos de gengibre é de serem realmente devorados! E olha quem está olhando para o biscoito!
O livro “Biscoito de Gengibre” de Nick Page, ilustração de Clare Fennel, da @editoracirandacultural é uma leitura despretensiosa e divertida.



 Narra a história de um biscoito de gengibre que ganha vida logo após ser assado pelo cozinheiro e sua esposa. Aqui, já de cara, meu filho pensou no Pinóquio!

-Mamãe, o biscoito ganhou vida igual ao Pinóquio! – rindo bem muito
E o biscoito – também “desobedece” o seu criador e sai andando pelo caminho. Encontra alguns obstáculos bem reais! Imagina que todos que o encontram querem o comer!
- Logico, né, Mamãe! Ele é um biscoito! – disse meu filho.
O Manolo – nome do biscoito fujão – até que consegue fugir do gato, do cachorro com ajuda da raposa. Mas a raposa... Ela não resiste ao cheirinho gostoso do Manolo... E...Nhac. Nhac. Entendeu?
A história é toda em rima. Sua leitura é rápida e até vale cantar a fala do Manolo ao fugir de seus “predadores”. As ilustrações são bem fofas e por si só já narram a história. Isto ajuda demais aos pequenos que ainda não sabem ler.
Eu ainda tenho a caixa do biscoito de Pedro guardada. Não fiz porque a pessoa que  escreve não está em condições de mexer a massa (ombro me deixou de repouso). Mas podem ter certeza que quando fizermos os nossos, terá mais histórias do Manolo por aqui! Não precisa ser só no Nat, né?
Porque cozinhar também é um ato de amor. E contar histórias também! 

Até a próxima!
Elaine Cunha

terça-feira, dezembro 24

"Estrela de Natal"

Tá chegando o Natal. 


E não podia deixar de te contar uma história! Eu estou tão feliz por compartilhar aqui com você🥰



E a história de hoje é daquelas que tocam no coração! Isto porque... É chegada a hora de enfeitar a árvore de Natal. A vovó conta a sua neta que também existe outra árvore que precisa ser enfeitada além da árvore da sala!


Quer descobrir qual é? Só clica aqui ó:






Meu desejo é que neste Natal você também enfeite a árvore mais importante: a do seu coração!

Se você pensou em alguém ao ouvir esta história, encaminha para ela. Quem sabe ela não pode ainda enfeitar uma árvore também?! 


Feliz Natal!

Até a próxima!
Elaine Cunha

sexta-feira, novembro 29

Black Friday chegou!

Já fez a sua lista de compras?
Antes de fechar o carrinho de compras, veja estes itens em promoção!



Até a próxima! 
Elaine Cunha 

sexta-feira, novembro 8

"Vó, me conta a sua história?"

Há alguns meses, uma prima me mandou mensagem dizendo que havia um livro que era a minha cara! Abri a foto e pensei na minha mãe e no filho. Perguntei se ela poderia comprá-lo e entregar a minha mãe. Ainda pedi que no “kit surpresa” tivesse também canetinhas coloridas. Não seria eu se não tivesse tudo colorido.


Em seguida avisei a minha mãe que ela receberia um presente. Mas que o presente não era dela. E sim, de Pedro. Ela não entendeu nada. Lógico! E quando recebeu, lembro que me avisou que escreveria.

Eu, daqui de Rio Preto, estava curiosíssima para saber como estava. E minha mãe, contava-me (quase) tudo. Inclusive das pesquisas que ela precisava fazer com minha tia- avó para saber alguns detalhes que o livro pedia.

Em junho, meus pais chegaram aqui de supetão. E na mala, o livro TO-DI-NHO escrito pela minha mãe. Eu pirei de alegria! Ela entregou a Pedro e o momento foi lindo! Eles ficaram lendo juntos. E Pedro, mega curioso, querendo saber de tudo e muito mais do que estava ali. Eu me emocionei.

Clica no play e se delicia!




Esta coleção “Tesouros da Familia”, da Editora Sextante, da autora Elma Van Vliet é maravilhosa. Ela criou o primeiro livro quando sua mãe adoeceu e ela percebeu que não sabia de muitas histórias dela. Assim, num caderninho escreveu algumas perguntas e entregou a sua mãe. Resultado? Resgate das memórias! E lógico que conectou várias pessoas. Muitas pessoas pediram o caderninho. E logo virou livro. Ela fez mais outras versões: para Vó, Vô e Pai. E
Acho que você já percebeu que a AMO as histórias. E quando as histórias conectam através das memorias afetivas eu amo ainda mais. Esta coleção honra nossa história. Honra nossa ancestralidade. E como é bom sabermos nossas raízes, não é?

Eu só posso agradecer a minha mãe pelo capricho. E sim, demorei em te contar porque eu não conseguia escrever. A emoção me tomava. Sempre!

E se você quiser escrever para seu filho, faça. Será lindo! E se quiser presentear, como eu fiz os avós, também será bem legal! E para aqueles que não gostam de fazer sozinho, a criança pode fazer junto. Como se fosse uma entrevista. Olha que legal! Tenho certeza que novas memórias afetivas serão criadas e guardadas no coração!

Até a próxima!
Elaine Cunha