sexta-feira, janeiro 8

Quer ajuda para mandar a vaca pro brejo?

 


Você quem é esta mocinha aí? Sou eu, pelo olhar da @stela.onishi do @desenhoquefala.


Esta ilustração faz parte da minha historia "A menina colorida". É um conto biográfico onde eu escrevi para contar minha trajetória. Neste conto, tem o inicio do meu despertar para ser contadora de histórias. Dos meus motivos que me levaram a arte. E desta transformação em meu ser.


Você que já está comigo há um tempo já sabe do meu amor pelas histórias. E confesso que esta ilustração estará pendurada muito em breve no meu cantinho que está sendo preparado.


Quando eu releio este conto que escrevi ou mesmo quando eu escuto a minha narração dele, eu me emociono. Porque é como se eu estivesse passando tudinho pela mente novamente. E mesmo, nos momentos mais difíceis da história, naquele momento de tensão, eu fico bem. Sabe por que? Porque a vida é como um rio... Flui. Segue. Passa. Uma hora. Na hora certa, desapegamos do que não nos faz bem e aprendemos a confiar novamente na vida.


Igual a história da vaca que foi pro brejo, não é? Sai do confortável! Arregaça as mangas e vai lá.

A prosperidade, a alegria, o amor, a paz... o que você mais precisa te espera.


Quer um empurrão para jogar a vaca no brejo por aí?


Ah, se vc quiser ouvir a história "A menina colorida", ela tá no igvt. Só ir lá! 


Elaine Cunha

Contadora de Histórias


#caminhandocontando #mudandoolhar #ilustração #historiaencantada #contosbiograficos

quarta-feira, janeiro 6

"Observe a Estrela!"



Conta a história que os Anjos falaram a cada um dos Reis Magos: “Observe a Estrela”. E eles sabiam que algo estaria no céu a anunciar a chegada de um novo tempo. Dizem que os Reis Magos não eram reis, e sim, sábios, conhecedores do que acontecia nos Céus, eles sabiam interpretar cada movimento das estrelas. Eles são os mensageiros das Estrelas. E quando eles viram o grande acontecimento no céu, partiram ao encontro Daquele que era o Filho de Deus.
 
Levaram consigo presentes. O presente, antes de gerar alegria no coração de quem o recebe, é expressão do amor presente no coração de quem o oferece. E eles levaram a esperança. Estes reis vieram de lugares diferentes e se encontraram, buscando um mesmo sentido para o surgimento de uma luz nova que começou a brilhar no céu.

Melquior, cujo nome quer dizer “meu Rei é luz”, veio de Ur, na Caldeia. É ele quem oferece o ouro;

Gaspar, cujo nome quer dizer “aquele que vai confirmar”, veio do mar Cáspio. É ele quem oferece o incenso;

Baltazar, cujo nome quer dizer “Deus manifesta o Rei”, veio do Golfo Pérsico. É ele quem oferece a mirra.

“O presente do ouro oferecido para Jesus mostra o reconhecimento de que aquela criança, mesmo em sua pequenez e fragilidade, é o verdadeiro Rei. Um Rei muito diferente do rei Herodes, que encontram em seu palácio exuberante e em seu amor ao poder. Jesus é o Rei na manjedoura. É o Rei no colo de Maria. É o Rei em cada coração que o acolhe. E, no reino de Jesus, se vive o poder de amar.

O presente do incenso mostra que os magos reconhecem naquela criança, tão humana, o próprio Deus, em seu mistério divino de amor. O incenso era algo oferecido somente para as divindades.

O presente da mirra simboliza que aquele Rei Divino também é verdadeiramente humano. Ele irá sentir a nossa dor e irá passar pela experiência da nossa morte. A mirra era usada para preparar os corpos para o sepultamento. Então, ao oferecer mirra ao menino Jesus, os magos enxergam em sua humanidade a grandeza do amor de Deus, que assumiu viver na nossa carne.” Assim, diz o Pe. Camilo. 

A estrela sumiu dos céus após o grande encontro dos Reis Magos ao menino Jesus.  Ela era apenas sinal para encontrarem a verdadeira luz. Jesus é o sol espiritual. Lembre-se que existe algo  divino, solar, cheio de luz, que sempre triunfará sobre a escuridão e o caos, que dará uma paz à alma, que agirá trazendo equilíbrio acima de toda luta, guerra e descontentamento no mundo. Ilumine a sua alma.

Até a próxima!

Elaine Cunha

segunda-feira, janeiro 4

Qual o leme que te guia?



Prazer, sou a Elaine Cunha. Contadora de Histórias. Você pode tá aí falando para você que já sabe disto, né? Contudo, quero te contar uma história que pode ser que você não saiba ainda.

Você conhece o leme que me guia?
Para eu te contar isto, quero te contextualizar um ponto importante em minha vida.
Em 2010, eu estava numa crise de depressão tão grande, tãoo grande... Eu estava me sentindo vítima do mundo. Com aquela sensação de vazio enorme. Resolvi tentar sair disto doando meu tempo. E ao começar minha jornada como voluntária para contar histórias em hospitais para crianças nem imaginava que eu teria a minha vida completamente modificada. Não tinha ideia de que o servir me salvaria de mim mesma. Daria uma direção a seguir!
Aprendi a ver as cores novamente. E comecei a formar minha bagagem como voluntária, depois profissional e o mais importante de todo meu repertório de histórias que toca meu ser.
Assim, aqui no Caminhando e Contando você verá este poder de transformação das histórias. Eu as escolho com um propósito: ressignificar sentimentos. Dar um novo sentido à vida que pulsa em nosso coração.
O movimento é assim: convido você a ouvir uma história. Feche os olhos e sinta a história em seu coração. É como que você criasse dentro de você mesmo um alicerce, uma base de informações, um armazenamento de dados. E quando você vivenciar algo em tua vida, é como se um gatilho fosse liberado. Algo te faz recordar de uma história e ela, gentilmente, te mostrará as possibilidades de seguir o caminho.
Aqui tem histórias para entretenimento? Sim, mas conto nos dedos de uma mão só. Tá errado isto? Não, mas não é a minha vibe com as histórias! Simples assim.
Então, se você desejar histórias que te toquem a alma e o coração, puxe a cadeira e pode se sentar aqui comigo. Teremos ótimas conversas e alguns insights. E te digo que na primeira que você vivenciar uma história assim comigo, seu olhar no mundo mudará!
Topa vivenciar uma experiência assim?
Vem comigo!

Elaine Cunha
Contadora de Histórias