quinta-feira, julho 8

"O Pote Rachado"

 

Sabe aquela história do carregador de água na Índia que levava dois potes grandes, ambos pendurados em cada ponta de uma vara a qual ele carregava atravessado em seu pescoço? Um dos potes tinha uma rachadura. Enquanto o outro era perfeito e sempre chegava cheio de água no fim da longa jornada entre o poço e a casa do chefe, o pote rachado chegava apenas com a metade da água. Durante todo o caminho, o pote rachado se sentia pequeno, miserável por se sentir capaz de realizar apenas metade do que ele havia designado a fazer.


Em conversa do pote rachado com o homem, ele percebeu que caminho só havia flores do seu lado. O homem fez questão de dizer que ao conhecer o seu defeito, ele aproveitou e lançou sementes de flores no seu caminho. E cada dia, enquanto voltávamos do poço, o pote rachado regava as sementes. E ele pode assim, colher flores para ornamentar a mesa do meu chefe.

Até que o homem fala ao pote rachado:

"Sem você ser do jeito que é, ele não poderia ter esta beleza para dar graça à sua casa."

Quantas vezes ficamos presas no resultado final e deixamos de observar o caminho? E pelo cansaço do dia nos esquecemos de perceber nossas virtudes?

Marca aqui uma pessoa que precisa ler esta historia para se lembrar que todos nós temos nossas virtudes. Elas estão só esperando você regar!

Na foto, Pedro aos 2 anos numa estradinha igual a nossa vida: repletas de curvas e com flores regadas pelo Amor!

Um beijo com carinho,

Elaine Cunha
Contadora de Histórias

#caminhandocontando #poterachado #historiasdevida #historiasqueinspira

sábado, junho 12

E tudo começou assim...




O ano era 1994. Numa tarde qualquer, de um mês qualquer, eu precisava fazer pesquisa para curso de inglês. E pesquisa importante que as minhas Barsas não eram capazes de me ajudar. Decidi ir a uma biblioteca especializada. O que eu não imaginava era que meu destino estaria pronto para mudar neste dia.

Naquele tempo, não havia sites de pesquisas a simples toques dos dedos, muito  menos celular para fotografar.  Eu tinha mesmo era caderno e lápis nas mãos. Depois de muita anotação, finalmente terminei. Ufa. Não me lembro ao certo quanto tempo fiquei ali debruçada sob a mesa. Não vi tempo passar. Não vi ninguém chegar nem sair...

Respirei fundo. E me levantei para devolver o livro a estante.  Enquanto eu o colocava de volta ao seu lugar, destino agiu. Eu me desequilibrei e quase cai. Sim, quase. Tudo porque havia um rapaz ajoelhado ao meu lado concentrado na sua pesquisa também. Em uma das suas mãos, um dicionário de inglês.  A outra, tentou evitar o que seria um desastre.

Eu? Eu não o vi. Minhas bochechas anunciaram o que meu corpo me dizia. Morri de vergonha. Devolvi o livro e sai correndo. Sem pedir desculpas. Sem nem falar nem olhar. Achando que minha falta de educação  não seria nem vista nem lembrada por um doce estranho.

Eu já te falei que o destino estava trabalhando, né?

O que eu menos esperava era que no outro dia nos veríamos novamente. No outro dia. Em outro local. Eu, na entrada do curso de inglês, esperando minha mãe me buscar. Ele descendo as escadas no sentido a saída.

As bochechas esquentaram novamente. As pernas tremiam. Coração pulando no peito. Ele chegando mais perto. Sorrindo. Eu, protegida pelos livros apertados contra meu peito. Vergonha que fala, né?

- Oi, tudo bem? Você estava na biblioteca ontem?

- Eu? Não.  ( Quem eu queria enganar?)

- Tem certeza? Eu sou aquele que te ajudou a não cair.

Bi-bi. Salva por uma buzina.

- Preciso ir. Minha mãe chegou. Tchau. 

Dizem que ele começou a fazer novas perguntas depois que saí. Ele conseguiu respostas. Na outra semana, a cena se repetiu. Desta vez, eu falei. E tudo mudou...


Este é um trechinho de minha "História Encantada" que comecei a escrever. Na foto, nós dois juntos em 1997. Já estávamos namorando. Mas aquela timidez ainda temia em aparecer... rs

Se você quiser uma história deste momento seu, só me chamar. Será um prazer escrever a sua história!


Abraços, 

Elaine Cunha

quinta-feira, junho 10

Como você conheceu o seu amor?


Hoje é quinta-feira. Dia de #tbt.

E sábado será dia dia namorados.
Então, te convido para fazer um mergulho em sua memória e se lembrar de como você conheceu seu amor. Enquanto você pensa aí, vou te contar a minha memória.
Eu conheci meu marido no ano de 1994. Nós dois estávamos na mesma biblioteca fazendo pesquisa. Eu quase cai por cima dele enquanto eu devolvia um livro a estante. Fugi. Sai correndo. Mortinha de vergonha. Imaginei que nunca mais o veria. Mas, reencontrei ele no outro dia no curso de inglês. Ele falou comigo. Eu não respondi. Fugi de novo. Voltamos a nos encontrar. Desta vez, falei bonitinho. E nós não nos largamos mais.
🥰
E você, se lembrou? Compartilha aqui comigo a sua memória. Ela pode virar uma história bem bacana, sabia?
No sábado compartilho a minha "História Encantada" do dia em que conheci o marido.
Elaine Cunha
Contadora de História

segunda-feira, junho 7

Contagem regressiva

 



Daqui há 10 dias será meu aniversário.

Aniversariar para mim sempre foi um momento de mudança de ciclo. E diante do cenário que estamos vivendo, torniu-se muito mais do que este marco, é uma benção. Tô viva!🙏

E sim, comemorar faz parte do pacote da nova versão que está chegando. Já tô pensando no bolo de laranja favorito do filho (eu sei, eu sei. Deveria ser o meu, né? Mas pela intolerância ao leite, laranja é o unico que ele come.)

E também tô pensando no meu saldo de balanço dos 4.2. Sou destas 🤭

Olha, mundão tá nos convocando para ação todos os dias. Já percebeu, né?

E eu tenho pedido ao Pai Maior saúde para seguir nesta jornada que escolhi.

Mas se você quiser me dar presente, passo a minha lista de livros que estão lá no carrinho da Amazon de boa. Facin facin.

É. Também sou destas que deixa no carrinho. Vai que recebo uns descontos? 🤭
É. Também sou destas que deixa no carrinho. Vai que recebo uns descontos? 🤭

Ai ai

Única certeza que tenho é que terei novas histórias para contar. Porque contar histórias é, e sempre será, meu presente de amor.

Com todo meu carinho, com toda minha verdade, com todo meu ser.

"Assim me contaram, assim vos contei, contai a outros..."


Até a próxima!

 Elaine Cunha


terça-feira, junho 1

Seja bem vindo, Junho!

 




Eu sou esta pessoinha aí feliz da vida quando chega o mês mais lindo: junho!
Junho é meu mês especial. Mês do meu aniversário. Mês das Festas Juninas! Ô saudade da terrinha, gente!
Festa Junina tem tanta coisa linda. O que maia gosta? As comidas? O quentão? Os fogos? A fogueira? A dança? As histórias?
Eu amo tudo isso aí e muito mais. E confesso que quando Pedro quis aprendera tocar sanfona... Ah, meu coração se alegrou.
E você, curte também? Conta aqui para mim!
Elaine Cunha
Contadora de Histórias

domingo, maio 23

Movimento das ondinhas

 Você já viu aquele movimento de uma pedrinha sendo jogada na água onde ela faz várias ondinhas? E não sabemos até onde elas vão.  Só sabemos que o universo as sente, certo?


Quando eu conto uma história,  confesso que tenho este sentimento de jogar a pedrinha. Mas de fato, não tenho como precisar este efeito muito menos contabilizar o impacto. Já que as histórias entram no campo dos sentimentos, do alimento da nossa alma. 


Esta semana recebi dois audios pelo Whatsapp que me fizeram chorar muito. De alegria. Uma grande amiga contava-me uma história. E depois, ela falou deste movimento das ondinhas em sua vida. E me agradeceu por tantas histórias que trouxeram  a ela um novo olhar em tantos momentos da vida.


Eu chorei. Chorei e solucei. E agradeci de volta. Meu coração ficou quentinho de tanto amor.


Eu sempre escolhi meu repertório com historias com propósito, com encantamento e também com muito carinho e respeito. Eu acredito que minha missão é levar você a enxergar novos caminhos de autoconhecimento. E as historias são  excelente também para isso, né? Aprendemos pelo exemplo.


Senti em meu coração que estou no caminho certo. Porque as histórias  tocam pela delicadeza. O simples é essencial.


Ah, antes que eu me esqueça. Pedi a história para contar aqui. Em breve.  Muito em breve. E amiga querida, mais uma vez, gratidão pela companhia ao longo destes anos. Vamos a mais uma história?


E você, já viveu momento assim em que uma história te inspirou? Conta aqui para mim.


Até a próxima!


Elaine Cunha

Contadora de Histórias


#caminhacontando

terça-feira, maio 11

Tá afim de fazer uma jornada?

 



Tá afim de fazer uma jornada?

E esta jornada começa quando decidimos juntos ouvir e contar histórias! E convido você para a ação! Sabe como?
Se permita ouvir uma história com o olhar de criança, com coração aberto a se deixar envolver pela voz, pela melodia, pelas imagens que você é pode criar em sua mente e no seu ser.

As histórias são o alimento para a alma! As histórias nos alimentam com boas imagens simbólicas, com caminhos que ficam registrados em nós de uma forma muito sutil. É como se fosse um alicerce numa bela construção. Você só se lembrará dele quando você passar por alguns problemas de acomodação do terreno. É quando você se deparar com um problema e perceber que já conhece aquele sentimento ou sabe de estratégia eficaz para chegar a uma solução. E quando é convocado pela vida para ter uma postura de grande! Postura esta que os contos vão nutrindo você com pistas e caminhos. Não é legal isto?

Então, este é o meu convite aqui no Caminhando e Contando:

Que você se alimente de boas histórias!

Vamos juntas?

Elaine Cunha

Contadora de Histórias


segunda-feira, maio 10

Fechamento do Especial Dia das Mães

Ontem encerramos o Especial Dia das Mães.... Ahhhhhh.....

Mas o podcast terá continuidade! ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ!!!! Teremos histórias sempre por lá, pelo canal do Caminhando e Contando no Youtube. Se você ainda não tá inscrito por lá. acessa aqui.

Quero deixar expressamente aqui minha gratidão a você que acompanhou esta série linda de histórias especial para os dias da mães. Ela foi feita com muito amor e carinho!

Deixarei aqui todos as histórias que foram vinculadas para você revisitar quando desejar!


#01 - Amor de Mãe

#02 - "Bem -vinda à Holanda"

#03 - "Movendo Montanhas"

#04 - "O telefonema à meia-noite"

#05 - "Quando Deus criou as Mães"


E agora, me conta, o que você achou do podcast? Sua opinião é muito importante! Conta aí para mim!


Boa semana para você!

Até a próxima história!

Elaine Cunha

terça-feira, maio 4

#01 - "O amor de Mãe"

Nosso podcast hoje nos conta sobre de um anjo que desceu ao velho mundo e na sua caminhada recolhe três tesouros. E se surpreende com eles ao voltar ao Paraíso. O que será que aconteceu?

Clica no play para ouvir!


Esta historia faz parte do podcast "Historias para aquecer o coração".
Conheça mais o meu trabalho.



Elaine Cunha
Contadora de Historias

Chegou o Podcast do Caminhando e Contando!



Alerta de Novidade no ar!!!
Ontem te falei que estava gestando um projeto novo nascendo, né?
Nasceu! Pari um podcast! 😊
Muita alegria no coração e com aquela sensação de borboletas no estômago, sabe?
O podcast será disponibilizado lá no meu canal no youtube.
Aproveita que você vai lá conhecer, se inscreve no canal e aciona o sininho para receber as histórias. Ficarei bem feliz!
De hoje até domingo terá uma nova história todos os dias! 🤗😍
Você não vai perder ou vai? Convida uma Mamãe para se deliciar com esta novidade!

Elaine Cunha
Contadora de Histórias


segunda-feira, maio 3

Especial Dia das Mães!



Mês de Maio. Mês das Mães. E mãe que é mãe adora um mimo, não é?
Que tal homenagear vocês Mamães que estão aqui comigo no Caminhando e Contando?
Nos próximos dias, teremos por aqui histórias lindas, emocionantes, sensíveis para todas nós.
E teremos também o lançamento de um projeto novinho que eu estava acalentando em meu coração. Você quer arriscar um palpite? O que será?
Até amanhã!
Elaine Cunha
Contadora de Histórias

sexta-feira, abril 2

"Da Lagarta à Borboleta" por Elaine Cunha

A Páscoa ainda é um conceito abstrato as crianças, principalmente as pequenas. Que tal contar uma história sobre o ciclo da vida, sobre a Metamorfose da borboleta! A música que me arrisco a cantar é a "borboleta" da Cris Pitanga. Para ouvir a história é só apertar o play!



Feliz Páscoa!

Até a próxima,
Elaine Cunha

segunda-feira, março 29

"Bem-te-vi e outras poesias" - Por dentro das Histórias

Chegou o ultimo livro da coleção Itau Social de 2010. Ele é o ultimo citado mas não menos especial. Vai por mim!
E quem gosta de poesia, vai gostar de “Bem-te-vi e outras poesias” dos autores Lalau e Laurabeatriz, pela Editora Companhia das Letrinhas.





Assim que abrimos o livro, tem uma ilustração que me chamou muita atenção. São duas meninas usando vestido. E na saia da primeira, tá escrito as silabas “RI” e na segunda, “MA”. Achei tão engraçado porque é um detalhe que quando a minha criança aqui percebeu falou animadamente sobre isto. E o texto ao lado, explica de uma forma poética o que é a rima.
Mas o que é a Rima? “Quando uma palavrinha encontra uma irmãzinha ou uma prima, isso se chama Rima”
Contadora de Histórias
E o livro traz poesias curtinhas, lindinhas e fáceis para as crianças lerem. É um livrinho de leitura rápida. E o legal é que você pode brincar de rima depois da leitura. As crianças com 7,8, 9 anos vão adorar esta construção de rimas. Então, vale a pena ler e se divertir. Bora construir uma rima?
Elaine Cunha

quarta-feira, março 24

"As duas moscas: uma história sobre mudança e persistência"

Compartilhei ontem nos stories nas minhas redes sociais que Pedro me falou que não gostava mais de ouvir minhas historias. Olha... Doeu... Trouxe uma história para o momento.
Aperta o play aí:


Elaine Cunha Contadora de Histórias

segunda-feira, março 8

Você não saberá... Mas elas saberão!

 


Hoje é o Dia Internacional das Mulheres. É um dia daqueles de reflexão!

Falei nos stories mais cedo sobre olharmos para nossa própria história de vida para identificarmos quem é ou quem são as mulheres que te inspiraram a serem mulheres com olhar diferente.

Cada uma de nós já tivemos pessoas assim. E você também pode ser esta que inspira outras mulheres. Já pensou nisto?

Então, eis o meu convite a você. Escreve aí nos comentários quem te inspira e o porquê. Vamos levar ao mundo a nossa voz fortalecendo nosso elo de força e inspiração!

Elaine Cunha

Contadora de Histórias

quarta-feira, fevereiro 24

Quero saber de você!

 



Eis a minha bonequinha que virou minha marca! Ela faz parte do minha logo. E eu, boa geminiana que sou pois não paro quieta, coloquei alguns elementos para ficar ainda mais a minha carinha.

Eu a coloquei com uma mala. Ah, a minha mala tá sempre comigo! E dela, sai brilhos que é o encantamento que proporcionamos ao contar uma história.

E se você é uma pessoa atenta, você já deve ter visto a mudança na foto do perfil, não é? Mas se não for, tudo. Agora você já sabe que mudou e continua (quase) a mesma coisa.

Tudo isto é para te dizer uma coisa: Não existe história sem encantamento. E encantar é um dos papeis do contador de histórias. Afinal, o que mais desejo como tal é que você sinta a história, que ela te toque no seu intimo, vibre em você, deixe o seu coração quentinho. Porque no final, você se lembrará de todas as sensações. E o que importa é como você se sentiu neste caminho. Por isso, que sempre temos os contadores de histórias preferidos. Pelo jeitinho de contar e pelo jeitinho de sentir.

Então, e diz aí:
Qual foi a história que eu já te contei e você sentiu este brilhinho em você?

Elaine Cunha
Contadora de Histórias

#caminhandocontando #boneca #logo #encantamento #maladocontadordehistorias


quarta-feira, fevereiro 17

Uma conversa importante

 


Ontem Pedro e eu tivemos uma conversa que mexeu muito comigo. E eu gostaria de compartilhar aqui com você.

Ele me perguntou, assim na lata:
- Ná, quantos seguidores você tem no seu canal do Youtube?
- Um pouco mais de mil.

Com voz triste continuou...
- Ah, falta muito.
- Para que, filho?
- Para você ganhar o troféu do Youtube. Eu sei o porquê.
- Por que, filho?
- Porque você não tem mais gravado histórias por lá!
- É verdade não gravei mais. Tá com saudade?
- Tô. Volta a gravar, Ná.

Parei. Fiquei pensando. Até eu tô com saudade, viu? Eu estou com muitos livros para resenhar, histórias para gravar... Mas ainda não consegui encaixar tudo na agenda desde que as aulas recomeçaram. Minha nossa da falta de organização e foco!

Como eu acredito que os anjos conversam conosco através dos que nos encontram no dia a dia... Já combinei com ele uma próxima história. A escolha dele!
E eu quero saber de você, também anda com saudade das histórias? Tem alguma em especial que você gostaria de ouvir? Indica aqui para mim nos comentários. Vou amar saber!

Ah, e já pedi ao meu presidente do fã clube ajuda para gravar as histórias. Porque não é fácil, viu? Estudar história, gravar, editar, subir nas redes... E ainda ter uma criança full time não é brinquedo não. Valoriza aí o trabalho! Aproveita e vai lá no youtube e se inscreve. Ajuda a mamãe aqui chegar mais próximo do troféu! Só buscar no Youtube o Caminhando e Contando. E para te ajudar ainda mais, link na bio. O presidente do Fã clube agradece. E eu também.

Na foto, um momento fofo meu e dele na Biblioteca aqui em Rio Preto em 2018, pelas lentes da fotógrafa @adrianabassofotografia, quando podíamos aglomerar e contar histórias pessoalmente. Ô saudade que fala, viu?

Um beijo

Elaine Cunha
Contadora de Histórias

#caminhandocontando



segunda-feira, fevereiro 15

9 dicas para estimular a Leitura


Eu acredito que ler é um hábito. E por ser um hábito, podemos estimular! Vou te contar aqui algumas dicas, Vamos juntos?
1 - Leia sempre. É bom para você e excelente para seu filho, que seguirá seu exemplo naturalmente. Eles nos imitam muito mais do que imaginamos!
2- Leia e conte histórias desde que seu filho for bebê. A sua entonação e sua emoção fará toda a diferença. Será um momento de conexão. O que mais vale neste momento é afeto.
3 - Dê livros, revistas, gibis de presente para ele e para os amigos. Aqui em casa, Pedro ajuda a escolher o livro para o amigo. Eu costumo presentear com livro mais alguma outro presente. Às vezes, a criança não tem costume de ganhar livros e não gosta, viu? Sejamos a mudança!
4 - Deixe os livros ao alcance das mãos para que a criança folheie, veja as figuras e ela própria conte a sua história. Os pequenos amam. E os grandes, já vão aprendendo a escolher por temas que mais gosta.
5 - Reserve um horário do dia para leitura e faça deste encontro um momento gostoso, de prazer. Aqui lemos mais a noite, na hora de dormir. Então, é aquele momento de ficarmos agarradinhos juntinhos na cama, lendo, rindo e cantando. Até hoje!
6 - Comente o livro com ele e o incentive a contar a história para alguém. Você poderá se surpreender com a história pelos olhar da criança, viu?
7 - Se a criança pedir para repetir a história, faça sem qualquer impeditivo. Se ela pede, provavelmente tem algo na história que ela está internalizando. Pode ter certeza que quando ela internalizar, ela trocará o foco. Mudará o livro. Já aconteceu por aí? Por aqui sim!
8 - Que tal ir em bibliotecas e livrarias? Excelente pedida para mostrar todo o universo dos livros. Explore o local, veja se pode se associar as bibliotecas, faça um cartão de associado e lógico, pegue emprestado algum livro a escolha da criança, se possível.
9 - Estimule atividades de precisam de leitura, pode ser jogo, receita, mapas... Mostrando que a leitura esta presente em muitas atividades, despertará ainda mais a vontade de ler.
Agora me fala, não é possível estimular a leitura nas crianças? Conta aqui para mim algo que você faça também por aí.


Elaine Cunha
Contadora de Histórias

sexta-feira, fevereiro 5

Ouvi uma historia... E chorei...

 



Esta semana, ouvi uma história narrada pela querida Anna da @contoterapia onde o pano de fundo era o sentimento de ser ouvido, de ser visto... Eu confesso que chorei de soluçar no final da história. Mas eu não imaginei o que aconteceria comigo no outro dia...

Treta aqui com Pedro! Eu queria porque queria que ele seguisse um cronograma de atividades diárias que havíamos feitos juntos. E ele me disse assim: "Ná, você quem fez. Eu não opinei em nada."

Oi? Como assim? Pensa como fiquei, né? Um misto de raiva "Ah, moleque. Fez comigo e agora não quer seguir. Tá pensando o que?"

O que fiz? Rasguei nosso cronograma. Choro de um lado. Muita raiva de outro. Eu me afastei. E fiquei bem longe. Para me acalmar.

Final do dia, bem tardão, conversamos. Expliquei que não gostei do comportamento dele porque havíamos feito juntos. E que não foi imposição minha, como ele havia dito. Porém, mesmo eu não tenho intenção de, ele sentiu como se tivesse sido.

Então, sugeri para ele mesmo fazer o cronograma conforme como ele achava que deveria ser. Ele fez. E mudou tudo! Horários bem loucos, para meus olhos.

No outro dia, deixei -o seguir seu cronograma. Não houve atrasos para escola. Alguns horários deram certo. Mas houve alguns check lists não realizados. E chegamos vivos no final do dia.

E a lição maior ficou gravada em mim. Mesmo fazendo juntos o cronograma, para ele, EU FIZ seguindo como EU queria seguir. E quando ele refez, ELE fez como ELE queria fazer.

Ele estava se sentido igual a menina Alice! Feliz da vida por saber que era real! E eu? Agradeci a chance de ouvir uma bela história que me preencheu e na hora mais precisa, ela me deu subsídios para ressignificar. Eu literalmente saí do papel dos pais que não ouviram a sua filha, e ocupei um novo papel, o da Garçonete, que enxergou a menina na sua individualidade e respeitou suas vontades.

Não estou dizendo aqui que as vontades dos nossos filhos serão sempre atendidas não. Apenas um convite para olhar para o que de fato é importante: o caminho ou o caminhar?

E as histórias? Ah, sempre estarão a nos impulsionar neste caminhar!

Confere a história lá no perfil da Anna no Instagram, tá?

Elaine Cunha
Contadora de Histórias