quinta-feira, fevereiro 27

O Carnaval do Jabuti


  Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô (...) ♪ 

Tá chegando o Carnaval!!! E aproveitando o momento de festa, que tal uma história para nos alegrar? Trago hoje uma história divertida, do Valmir Ayala.  





O Carnaval do Jabuti

Narrador: Uma vez os animai s da floresta resolveram fazer uma festa de carnaval, e cada um queria se fantasiar de outro bicho. O coelho ficou todo animado:
Coelho: - Vou me fantasiar de leão! Tenho muita vontade de ser forte e ser rei. (rugido)
Narrador: A formiguinha ficou toda assanhada:
Formiguinha: - A minha fantasia vai ser de abelha, pois quero voar. HI HI HI.
Narrador: O leão falou entusiasmado:
Rei leão: - Para parecer maior vou me fantasiar de elefante.
Narrador: A raposa era a organizadora da festa. Ela perguntou ao jabuti:
Raposa: - Qual vai ser sua fantasia jabuti?
Jabuti: - Ora bolas, vou me fantasiar de jabuti.
Raposa: - Ah não! Não pode, porque você já é jabuti.
Narrador: Mas o jabuti nem ligou. A raposa ficou furiosa porque ela queria provar ao rei que os animais estavam todos descontentes e queriam ser outros bichos. Então para convencer o jabuti, a raposa mandou o mosquito conversar com ele.
Mosquito:(zzzzzzz) Senhor jabuti, o senhor é um desmancha prazeres (poinhoin) Põe uma fantasia de cobra!
Jabuti:- Não! É muito apertada para o meu casco.
Mosquito:- (zzzzzzz) Então, que tal uma fantasia de gambá?
Jabuti:- Credo! É muito fedida. Não quero. Vou de jabuti e pronto!
Narrador: A raposa decidiu:
Raposa: - Já que o jabuti não quer se fantasiar de outro animal, não vou deixá-lo ir ao carnaval. Isto mesmo! HÁ HÁ HÁ HÁ.
Narrador: A raposa então mandou o João de Barro tampar a porta da toca do jabuti, da noite para o dia.
No dia seguinte (tempo), o jabuti, se esforçou, se esforçou (batendo em algo)  até conseguir abrir outro buraco e conseguiu sair de sua toca.Então  A raposa foi falar com o rio:
Raposa: (barulho de água de rio) Seu rio, por favor, mude o seu leito, para impedir que o jabuti vá ao carnaval.
Narrador: O rio concordou. Mas o jabuti então chamou um jacaré, seu amigo e atravessou o rio no lombo dele.
Jabuti:- Obrigado pela carona amigo jacaré!
Narrador: A raposa vendo que não conseguiu nada resolveu proibir a entrada do jabuti no salão. Mas o jabuti, no caminho para o carnaval encontrou seu amigo macaco.
Jabuti:- Amigo macaco vamos ao carnaval?
Macaco: - (barulho de macaco) Ih, não posso jabuti, fui proibido de ir porque sou muito bagunceiro.
Jabuti:- Tenho uma ideia.(plim) Vá a frente, e diga que você  é o jabuti fantasiado de macaco. E faça toda bagunça que puder, eu chego depois.
Narrador: O macaco deu cambalhotas de alegria ( fiu fiu fiu ) e foi ao carnaval. Ao chegar, a raposa quis proibir a sua entrada.
Raposa: - Macaco, você está proibido de entrar aqui!
Narrador: E o macaco respondeu:
Macaco: - Ih, não tá me reconhecendo dona raposa, sou eu, o jabuti fantasiado de macaco.
Raposa: - Ah! Que bom que mudou de ideia jabuti. Entre logo que a festa já começou. (toque de música carnavalesca) 
Narrador: Foi assim que o macaco enganou a raposa. E assim que entrou, o macaco conseguiu arrancar as fantasias de todos os animais. Foi um escândalo.  ( pessoas reclamando). Depois que o macaco acabou com a festa o jabuti chegou, a raposa chorando, apontou para ele:
Raposa: - Jabuti, foi você seu mequetrefe. (com voz de choro)
Narrador: E o jabuti ria sem parar.
Jabuti:- (Há Há Há) Baile de carnaval sem macaco não é carnaval dona raposa. Agora vamos dançar cada um com o rabo que tem, com as orelhas que tem, com as garras que tem, sem máscaras, afinal somos felizes assim.
Narrador: E o rei decretou:
Rei leão: - O carnaval continua, vamos festejar minha gente!
Narrador: O carnaval continuou mesmo, todos dançaram felizes até o sol raiar. (toque de música)







Bom Carnaval para você!
Até a próxima!
Elaine Cunha



Um comentário:

A conversa sempre continua aqui nos comentários! Comenta aí! E vamos "trocar figurinhas"

Abraços!
Elaine Cunha