segunda-feira, julho 16

Conversando com... Paula Negrão

Hoje trago mais uma novidade no Caminhando e Contando. 
Desde que ingressei neste universo da arte de contar histórias, conheci pessoas agregadoras. E para estrear a nova coluna, convidei uma pessoa super bacana para uma conversa lá na cozinha. Um bate-papo informal. Confere aí!

CONVERSANDO COM... Paula Negrão

Você conhece a Contadora de Histórias Paula Negrão? Eu a conheci  em uma palestra do Viva no ano de 2010. Eu até escrevi aqui sobre a oficina. A Paula é graduada em Letras pela Universidade Paulista – UNIP. Desde 2002 trabalha voluntariamente como Contadora de Histórias na Associação Viva e Deixe Viver. Há cinco anos atua profissionalmente em empresas, associações, escolas, oferecendo histórias para todos os públicos de crianças da primeira infância, adultos até a melhor idade. Eu nem preciso te contar que fiquei  encantada com o seu jeitinho super meigo de narrar, ao é? Assim, não perdi tempo e convidei-a para nossa estrear a nossa coluna. Espero que goste!


Caminhando - Por que você quis ser contadora de histórias?
Paula Negrão -  A  verdade que eu não tinha intenção de  ser uma contadora de história. O meu objetivo era realizar trabalho voluntário com crianças.
Nessa época,  eu tive a oportunidade de conhecer o trabalho do Viva e fiquei  encantada com a estrutura organizacional da Associação e a partir daí conheci a personagem Contador de Histórias.

Caminhando - Você ouvia histórias quando criança? Quem contava para você?
Paula Negrão - A minha  mãe não tinha muito tempo para  contar histórias  todas os  dias. Naquela época a vida  era mais difícil :   quatro filhos, trabalhando fora  e dona de casa e não sobrava tempo nem para piscar olho. Tem uma  memória  afetiva :  eu me  lembro quando ganhei o  livro  O Gato de Botas e vivia com esse  livro para cima e para baixo. 
 
Caminhando - Como você escolhe seu repertório?
Paula Negrão -  Eu falo que as histórias  que  me escolhem  ....
É um processo bem interessante porque sinto uma emoção gostosa quando estou lendo a história e quando isso acontece é sinal que  ela  está dizendo assim :
-  Você vai me escolher para contar.
Eu também  me identifico com os escritores da Literatura  Infantil  Brasileira:
Ana Maria Machado Ruth Rocha, Eva Funari, Sylvia  Orthof, Giba Pedrosa, Illan Brenman, Andre Neves, Ziraldo entre outros e não posso esquecer de mencionar o Pai da Literatura Infantil  Monteiro Lobato.  

Caminhando - Para você, qual a importância da leitura no desenvolvimento da criança?
Paula Negrão - “ Ler  para  uma  criança muda  a sua  história.”
A criança  quando ouve ou lê uma história  desenvolve  o  foco, atenção, concentração, imaginação e a criança  começa a gostar de ler  histórias pela história.
O momento de leitura  nas escolas  ainda está atrelado com alguma atividade pedagógica  como  ficha de leitura.
Eu  me lembro  que na infância essa atividade  era constante e isso criou um mecanismo ruim e perdi gosto da leitura , isto é não tinha prazer , tornando uma atividade “chata”.

Caminhando - Se pudesse definir em uma frase o momento em que você está  narrando, que frase seria esta?
Paula Negrão - A minha maior  felicidade é contar histórias.  Parece  o comercial  do Credicard  :  isso não tem preço.

Caminhando - Alguma dica? Alguma indicação de leitura?
Paula Negrão-  O  caminho  da Arte  de Contar  não tem fim :  estudar , estudar e estudar.
Apesar de 10 anos  de  trabalho voluntário e  cinco anos   profissional, me sinto uma aprendiz.
Eu estou sempre buscando cursos de atualização e  formação , recentemente conclui o curso na Biblioteca Hans  Christian Andersen.

Dica de Livro
Para mim, é o livro de cabeceira do Contador de Histórias. Indico "ACORDAIS: Fundamentos teórico-poéticos da arte de contar histórias" da Regina Machado.



E aí, gostou da nossa conversa? Para conhecer mais do trabalho da Paula, acessa o site "Contos e Encantos por Paula Negrão". Você irá gostar!


E que tal ouvir suas belas histórias? Acessa aqui e veja a agenda de férias!

Até a próxima!
Elaine Cunha

Um comentário:

  1. Obrigada amiga dinda! Postei sobre a nossa história também...bjo

    ResponderExcluir

A conversa sempre continua aqui nos comentários! Comenta aí! E vamos "trocar figurinhas"

Abraços!
Elaine Cunha